Abusado por um amigo na praia – Conto Erótico Gay

conto erótico gay

O conto a seguir aconteceu comigo a uns três meses.
Meu nome é Leandro tenho 1,70 de altura, 20 anos, olhos e cabelos castanho escuros.
Eu trabalho no setor de vendas de supermercado, já fazia tempo que eu e meus colegas do trabalho estávamos marcando uma ida a praia de Ubatuba onde uma colega de trabalho estava construindo uma casa.
Pegamos um feriado prolongado e fomos, e descemos o litoral fomos em 3 carros no total de 13 pessoas,para minha surpresa Vitor estava conosco,conheci Vitor no CFC ,estávamos tirando a carteira de motorista na mesma auto-escola, Vitor é alto cerca de 1,80, 18 anos, tem braço e pernas malhadas, mãos grandes, não tem um rosto muito bonito, aparentava ser um cara legal,apesar de mal termos conversado durante as aulas no CFC.
Chegamos em Ubatuba, a casa era bem próxima da praia, 10 minutos no máximo , ruim é que quando a Claudia disse que a casa ainda estava em obras,não disse o quanto em obras a casa estaria, a casa era bacana,apesar de não ser muito grande já estava construída, tinha a água e a eletricidade ligadas ainda faltava algumas portas serem colocadas azulejos,mas como era para passar o feriadão na praia de graça ninguém ligou para esse detalhes.
Chegamos na praia bem cedinho e aproveitamos o dia na praia,como o Vitor era novo no mercado (tinha entrado naquela semana,) ele acabou colando em mim que ele já conhecia, e eu acabei gostando da companhia dele,já que minha namorada não pode ir pois trabalhava durante o feriado.( isso mesmo eu sou hétero ou pelo menos era ).
Passamos a tarde e boa parte do anoitecer em um quiosque bebendo,e o Vitor ficou bem ruim,por isso fomos para a casa.
Como o Vitor havia se unido a mim durante o dia todo,ficou descido que eu e ele iriamos dividir o mesmo quarto.
Era um quarto não muito grande,com uma cama de casal, mas tinha espaço suficiente para o colchão de ar,que eu tinha trazido.
O Vitor como estava bebadaço,caiu na cama de casal e lá apagou.
Eu ainda fiquei conversando com o resto do povo,demos uma volta na praia,até uma 22:30
Lá pelas 23:00 horas fui encher meu colchão de ar para deixar e me dei conta que havia esquecido o a bomba de ar para encher o colchão.
– Divide a cama comigo,-falou Vitor que tinha acordado para ir ao banheiro.-A cama é de casal mesmo cabe nós 2 na cama,amanha nós damos um jeito de encher o seu colchão.
– Ok,falei.- Amanha vemos isso.
-Me deitei de costa para ele e dormi.
-Quando deu por volta das 02:30 sinto uma mão massageando minha pica.
Acordei no susto e perguntei o que ele estava fazendo.
-Apenas estou me divertindo ele respondeu com um sorriso malicioso.
Na hora que eu fui me levantar,ele me agarrou e me jogou na cama,caindo por cima de mim,senti seu peso sobre mim,um volume rígido dentro da bermuda dele sendo pressionado contra minha coxa, a barba por fazer dele rocando meu rosto.
Vitor chegou bem próximo ao meu ouvido e sussurrou:
-Agora vou fazer você o que eu sempre quis fazer desde o cursinho do CFC até no supermercado.
Ele soltou uma das mão que me segura, e desceu com ela alisando as minhas costas,então enfiou a mão destro da minha bermuda e começou a alizar minha bunda por cima da cueca.
-Você esta louco Vitor para com isso!
Vitor chegou bem próximo ao meu ouvido então disse.
-Fala baixo Leo,ou prefere que todo mundo acorde e venha assistir eu fudendo com você?!
falando isso ele pós a mão dentro da minha cueca e começou a meter dois dedos dentro do meu cu,até então virgem.
Doeu muito,até então nada tinha entrado no meu cu, a primeira vez que ele pós os dois dedos,saíram lagrimas dos meus olhos e tive que fazer força para não gritar.
-Tira!,Tira! Tira! Vitor esta doendo.- Mas não importava o quanto eu implorasse ele continuava com aquele vai e vem de dedos dentro do meu cu.
-Você esta gostando não é safado?! Perguntou Vitor- Esta até de pau duro e babando só porque outro homem enfiou os dedos dentro de você. Imagina o que vem agora.
A hora que ele falou isso eu gelei,os quartos não tinham portas se eu fizesse barulho qualquer um poderia ouvir, e vim ver o que esta acontecendo.
Vitor pegou uma camisinha,que estava de baixo da cama. (maldito já tinha pensado em tudo)
-Calma Leo,calminha eu vou ir bem de vagar porque eu sei que tu ainda era virgem aqui atrás.
Eu tentei fugir mas não consegui,pois o Vitor,é bem maior ,mais pesado e bem pauzudo que eu.
Ele me jogou de bruços e deitou por cima de mim.
-Leozinho,desculpa não ter um gelzinho para ajudar a descer,é que eu esqueci.-disse ele em tom de brincadeira.
-E tenta não gritar, vou colocar bem devagar até você se acostumar.
Senti aquele cabeção pressionado a entrada do meu cu,e depois deslizando de vagar para dentro.
Eu mordi o travesseiro nessa hora,porque estava doendo,mas ao mesmo tempo era uma sensação gostosa e exitante.
-Enfiei tudo Leonardo, agora segura as pontas que eu vou começar a meter nesse cuzinho delicioso que você tem!
Antes mesmo que eu disse não, o Vitor começou um movimento de vai em vem primeiramente de vagar,depois foi aumentando a velocidade até começar a meter com força.
Vi estrelas, e poucos minutos depois ele encheu a camisinha de porra.
Nós ainda transamos as três noites do feriadão e mais algumas(varias )vezes depois que subimos a serra.Inclusive no banheiro e no deposito do mercado onde nós trabalhamos.
E minha noiva nunca soube,nem saberá desse meu lado obscuro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *