Dei o cu e bebi gala do drogado em Fortaleza

         Sempre tive fetiche de transar com drogados, moradores de rua, marginais e etc. Comecei a criar coragem e ir atrás e esse ano comecei a realizar minhas vontades, mas em específico contarei o que me ocorreu ontem.

         Estava em casa sem fazer nada, entrei na net pra procurar um vídeozinho bom pra gozar, mas fazia tempo que não me aventurava e me veio a ideia de procurar um cara de rua pra pelo menos eu mamar gostoso. Só em pensar o tesão foi a mil e logo tratei de me preparar para ir a caça, me vesti, peguei um lubrificante, uns trocados, 15 reais pra ser mais exato e fui logo a procura, pois sei que se demorasse eu acabaria desistindo e gozando na punheta.

         Moro pertinho de um grande terminal de integração aqui em Fortaleza e como todos sabem, nesses lugares sempre tem muitos pedintes, moradores de rua e etc. Eu sempre quando volto para casa no fim do dia, passo e já olho algum cara desses jogados que eu possa abordar, kkkkkk.

         Então sai quase as 23 h, moro praticamente do lado, preciso praticamente andar um quarteirão somente. Chegando na entrada principal do terminal já vejo dois caras mal vestidos, roupas meio sujas e um deles me pergunta se eu quero entrar no terminal, pois eles usam cartão eletrônico e cobram 2 reais pela passagem, que custa R$ 2,40 caso eu vá pagar na bilheteria. Na verdade nunca entendi de onde vem esses cartões, mas todo dia tem vários caras cobrando mais barato, mas isso não vem ao caso.

         Ele me oferece a entrada por 2 reais, eu só balanço a cabeça recusando e paro em frente a entrada parecendo esperar alguém. Fico lá uns 3 minutos observando o movimento e vendo a melhor forma de abordá-lo. Espero mais um pouco e me afasto para sair do campo de visão das pessoas que estavam mais próximas. Ele depois olha pro lado que estou e eu faço um sinal pra ele vir até mim. Imediatamente ele vem, então começo andar e percebo ele me seguindo, ele andava com um pouco de dificuldade, estava mancando, estava com o pé machucado.

         Me afastei apenas para que pudesse falar com ele sem que ninguém escutasse, queria ser o mais discreto possível e caso ele recusasse eu já continuaria andando sem olhar pra trás, hahahaa.
Ele chega até mim e eu mando na lata:
– Tá a fim de ganhar um trocado? Ele pergunta:
– Quanto? E eu logo respondo:
– 10 conto pra chupar teu pau”. Ele só diz:
– Bora!
E continuamos andando, mas antes de se afastar muito ele joga o cartão eletrônico pro amigo e já me acompanha novamente. Me pergunta:
– Onde?” e eu digo:
– Ali do outro lado do supermercado, lá dá pra rolar de boa (O terminal fica do lado de um grande supermercado, que pelo horário próximo de fechar estava deserto.

         Entramos pelo portão lateral do estacionamento do supermercado, atravessamos o estacionamento e saímos do outro lado. Desse outro lado há uma área cercada por uma mureta que não é usada pelo supermercado e tem um pouco de mato crescendo, como fica do lado mais alto do terreno quem entra nessa área pode ver todo o estacionamento, mas não dá pra ser visto. Esse ponto é usado pra consumo de droga, é bem comum ver a galera pulando pra curtir a lombra lá, hahahaaa. Quem frequenta até improvisou atrás de uma pequena moita um local pra não ser visto por quem passa pela rua, com uns pedaços de madeira, papelão e sacos.

         Chegando nesse local, pulamos e ele foi logo tirando toda a roupa. Já fiquei tranquilo pq vi que não escondia nenhuma arma, kkkkkk. E relaxei ainda mais pelo fato dele está mancando, então qualquer coisa eu correria mais que ele, hahahahaa. Por se tratar de um cara que deve morar ou ficar quase 100% do tempo na rua, já fui preparado pra mamar uma pica suja e fedorenta, que eu não curto, mas tava disposto a fazer tudo pelo tesão.

         Ele já nu (tava sem cueca e com o short amarado com cordão pra não cair, coisa típica de quem mora na rua), puxou um tijolo grande que tava no local e sentou com a pica já meia bomba. Eu rapidamente me ajoelhei e cai de boca.

         Por incrível que pareça não tinha cheiro ruim, estava muito limpo e pelos relativamente aparados. Então pensei que ele não morasse na rua ou tivesse tomado banho recentemente. Comecei a mamar e rapidamente o pau cresceu na minha boca, mamei com muita vontade, tava uma delícia. Ele só tinha aquele cheiro de macho, aquele cheiro que deixa os putos loucos e tb notava um cheiro de algo queimado, como alguma droga.

         O pau dele deveria ter uns 16 ou 17 cm, gosto dos grandes, mas o dele tava uma delícia. Ele mais ou menos com 1,70 m, magrinho com barriga definida e aparência de uns 18, no máximo 20 anos. Uma delícia!

         Mamava com muita vontade, olhei pra cima e ele tava de olhos fechados com cara de quem tava gostando, kkkkkkk. Lambia a cabeça, a pica, engolia todo, alternava mamadas lenta e depois rápidas e ele só gemendo baixo. Aproveitei que ele tava com tesão e peguntei se queria meter. Então perguntou se eu dava 20 reais, disse que só tinha 11, kkkkk. Tinha 15, mas 11 tava num bolso e 4 em outro, então na hora de pagar só ia puxar de um bolso.

         Ele topou pelos 11 e já mandou eu ficar de 4. Cuspiu na mão, passou no pau e no meu cu e já foi metendo. E eu logo gemendo gostoso, tava bom demais. Ele meteu forte, como quem tava com sede de cu. Ai eu disse pra ele não gozar pois queria beber leite. Ele meteu mais uns 3 min e tirou, mandou eu ajoelhar e mamar.

         Obedeci como uma boa puta, mamei gostoso, mas ele segurou minha cabeça e começou a fuder minha boca com força e rapidez, ai já fui me preparando pra receber meu prêmio: LEITE QUENTE de macho de rua!

         Em menos de dois minutos dele deus uns espasmos e gozou uns 3 jatos na minha boca. Eu engoli tudo e depois limpei a pica dele com a boca até ir amolecendo. Depois que amoleceu ele começou a se vestir e eu peguei os 11 reais de dei pra ele.

         Ele disse que tava toda noite no terminal e quando quisesse de novo era só procurar lá. Dei o cu, bebi leite e sai satisfeito. Cada um foi por um lado da rua e eu vim pra casa, me acabei na punheta ainda com gosto da porra na boca, hahahaaa.

         O conto ficou longo, mas é que sou detalhista, rsrsrss. Se curtiu comenta ai e vota no conto. Próximos dias volto para contar as outras experiências com um drogado e morador de rua, que foram num total de 5 experiências, essa foi a sexta vez.

Dei o cu e bebi gala do drogado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *